Estampas em camisas: conheça os tipos

Você está interessado em criar estampas e, depois, colocá-las em camisetas e não sabe por onde começar? Este post irá esclarecer algumas dúvidas sobre o assunto.

Tudo que será visto aqui foi dito pela minha sobrinha Arizla Prysthon. Valeu, Lila! 😀

Primeiro é preciso dizer quais são as técnicas utilizadas nesse processo. Cada tipo de tecido (e de cor, principalmente) funciona melhor com determinada técnica.

Camisas em algodão

A grande maioria das camisas são feitas em algodão. Para esse tecido existem algumas opções.

Impressão digital (feita em um Plotter): pode-se utilizar camisas coloridas ou brancas.

Transfer tradicional (feita em impressora laser): esse método é mais utilizado em camisas brancas. Consiste em passar a figura para um tipo específico de papel (o transfer) e depois, por meio de uma máquina específica, prensá-lo na camisa, com temperatura e tempo bem específico. 

Sabe aquelas figurinhas que você coloca no papel e esfrega com a unha na sua parte de trás, até que o desenho fique fixo no papel? É exatamente assim que funciona o transfer.

Serigrafia ou silk-screen (pintura): é o método que tem a melhor qualidade final, sem sombra de dúvidas. Mas a vida é uma caixinha de surpresas… E como nesse caso não seria diferente, esse método não é indicado quando a figura possui uma quantidade muito grande de cores. São indicadas sete cores, no máximo. Pois, cada figura é pintada no papel de forma independente (primeiro pinta-se TUDO que for azul, depois TUDO que for amarelo, depois TUDO que for verde, por exemplo). Pode ser utilizado em camisas brancas ou coloridas. Ou seja, quanto mais cores tiver o desenho, mais caro sairá o produto final.

Camisas em poliéster (dry)

São aquelas camisas de carnaval ou aquelas que se usa para atividades físicas. Nesse caso a técnica utilizada é a impressão sublimática (tem a ver com química e tal). Basicamente você utiliza uma impressora com tinta sublimática e o papel transfer sublimático, especial para receber a tal tinta.

Essa técnica é interessante não só para esse tipo de tecido, como também para pratos, canecas, quebra-cabeças, vidro, metal… Tudo isso graças à base de resina em poliéster que esses produtos recebem. Então, tudo que for de poliéster, pode ser estampado dessa maneira.

Abaixo uma escala, com a ordem de durabilidade de impressão nas camisetas:

  1. Pintura (silk-screen)
  2. Impressão sublimática
  3. Impressão digital
  4. Transfer tradicional

Isso é o básico para se entender o processo de impressão de estampas; Se quiserem algo mais elaborado, sugiro se informar numa gráfica, ou com pessoas que trabalhem com isso.

🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.