Moto: do G para o Z Play

Resolvi trocar de aparelho e escrever aqui minha experiência em relação ao novo smartphone. Abaixo as minhas impressões sobre o Moto Z Play.

Moto Z Play?

Por muitos anos (3, para ser mais específico) usei a primeira versão do smartphone da Motorola, o Moto G (2013). Na época, foi o melhor custo benefício que encontrei. Só que o tempo passa, e com isso precisei trocar de aparelho. 

Estava querendo o ASUS Zenfone 3, por conta da sua câmera, que é muito boa. Mas tinha algo que me incomodava: o tal chip híbrido. E o que isso significa? Significa que, ou você usa dois chips SIM (Subscriber Identity Module – o famoso chip de celular), nos tamanhos micro e nano, ou um chip micro e o cartão de memória. Outro fator negativo é que não existe assistência técnica da ASUS na minha cidade. Teria, então, que enviar o aparelho para São Paulo.

Imagem do ASUS Zenfone 3 e o slot para chip híbrido. Fonte: https://www.gogi.in/asus-zenfone-3-review.html

Apesar de trazer um modelo com 64gb de memória interna, ainda assim não queria passar pela mesma situação que passei com o Moto G1 (o fato de não possuir entrada para cartões micro SD). Então comecei a desanimar.

Além disso, o smartphone da ASUS é revestido de vidro. Ou seja, qualquer impacto faria não só o display trincar como a parte trazeira.

Decidi, então, escolher o Moto Z Play. Em comparação com o aparelho da ASUS, ele tem o preço mais elevado e tem menos espaço de memória interna (32gb).

A parte boa é o seu display. Enquanto o Zenfone 3 traz uma tela LCD, o aparelho da Lenovo vem com uma tela de Amoled. Isso faz com que as cores fiquem mais vivas e bonitas. Sem contar a bateria, que dura Q U A R E N T A E C I N C O horas de conversação. Não cheguei a testar tudo isso, mas eu levei bastante tempo para carregar novamente o aparelho (mais de um dia, com certeza).

Moto Snaps

Essa, se for bem aproveitada, talvez seja a coisa mais legal dessa série. O Moto Z (assim como o modelo Play) trazem uma abertura na parte de trás, uma espécie de porta de expansão, onde é possível acoplar dispositivos compatíveis com o aparelho. São eles:

No futuro, outros dispositivos poderão ser criados. Eu acharia muito legal se fizessem um joystick. Para saber mais sobre os Snaps, basta clicar nos respectivos nomes acima.

Prós e Contras

Como nem tudo são flores, listarei abaixo o que o smartphone tem de bom e não tão bom assim.

Prós

  • Bateria verdadeiramente de longa duração
  • Aparelho modular (Moto Snaps)
  • Funciona com dois chips SIM + o cartão de memória micro SD, de até 2TB.

Contras

  • Volume do auto-falante muito baixo (talvez para nos forçar a comprar o JBL SoundBoost)
  • Capas antichoque possuem uma abertura para o conector do Moto Snap
  • Alguns usuários relataram um zumbido (chiado) em ligações ou em áudios do aparelho.

    * Para esse problema, a Lenovo prometeu corrigir isso com o lançamento do Android N, agendado para o primeiro trimestre desse ano.

  • Preço oficial um pouco salgado (R$ 2.199,00).

Estou satisfeito?

Em relação ao meu antigo smartphone esse é um baita aparelho! Tudo funciona rápido, leve, não engasga. Os jogos que possuo rodam perfeitamente, além de ter um visual muito agradável. Se não gosta do visual do Android puro, é possível utilizar launchers, disponíveis na Play Store.

🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.